São Paulo, 24 de November de 2017
Home / Colunistas / Estomaterapia engajada na campanha do Outubro Rosa

Estomaterapia | Sílvia Angélica Jorge

Diretora do Departamento de Enfermagem do Hospital de Clínicas/UNICAMP e Conselheira Científica da Sobest – Associação Brasileira de Estomaterapia: estomias, feridas e incontinências. Enfermeira Estomaterapeuta TiSOBEST, Graduada e Licenciada em Enfermagem pela Universidade Estadual de Campinas - Faculdade de Ciências Médicas, é Mestre em Enfermagem Fundamental, pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto – SP, com Especialização em Estomaterapia na Faculdade de Ciências Médicas/ UNICAMP, Especialização em Nefrologia pela Universidade Federal de São Paulo, Especialização em Administração Hospitalar pela Faculdade São Camilo e Especialização em Desenvolvimento Gerencial pela Universidade Estadual de Campinas. - Email: secretaria@sobest.com.br

+ postagens

Estomaterapia engajada na campanha do Outubro Rosa

Outubro Rosa é uma campanha mundial que visa conscientizar a população feminina, mas também a sociedade em geral, sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama, proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade.

A campanha começou em 1990 com a primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York. De fato, ainda hoje muitas localidades do mundo comemoram com uma corrida, inclusive no Brasil, algumas cidades estão organizando corridas e maratonas pela conscientização do câncer de mama.

Dados apontam que para 2017, no Brasil, são previstos 58 mil novos casos de câncer de mama. As chances de sucesso no tratamento superam 90% quando o câncer é diagnosticado precocemente. É o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma, o câncer de mama responde por cerca de 25% dos casos novos a cada ano.

Infelizmente, o câncer de mama vem atingindo cada vez mais as mulheres mais jovens e é o tipo de câncer que mais mata mulheres no Brasil. Portanto, pelo menos o autoexame deveria ser rotineiro na vida de toda mulher, enquanto a mamografia deve ser feita anualmente a partir dos 40 anos, e até antes ou com mais frequência, dependendo do critério médico. 

O câncer de mama é uma patologia que, se diagnosticada precocemente, tem mais chances de ser tratada e diminui a possibilidade de tratamentos, como a quimioterapia e até a mastectomia.

A importância de o estomaterapeuta estar engajado nessa campanha é para:

- disseminar e enfatizar as informações sobre prevenção e detecção precoce da doença, até mesmo para desmistificar conceitos em relação à doença;

- reforçar sobre a importância de a mulher conhecer suas mamas e ficar atenta às alterações suspeitas como: um caroço (nódulo) fixo, endurecido e, geralmente, indolor; a pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja; alterações no mamilo; pequenos nódulos na região das axilas ou no pescoço e saída espontânea de líquido dos mamilos;

- esclarecer que o câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor e que existem vários tipos de câncer de mama, sendo que alguns tipos têm desenvolvimento rápido enquanto outros são mais lentos;

- informar que o Sistema Único de Saúde (SUS) garante a oferta gratuita de exame de mamografia para as mulheres brasileiras em todas as faixas etárias.

E principalmente, esclarecer que existe tratamento para o câncer de mama, e o Ministério da Saúde oferece atendimento por meio do SUS.

O câncer de mama pode ser detectado em fases iniciais, em grande parte dos casos, aumentando assim as chances de tratamento e cura. Todas as mulheres, independentemente da idade, podem conhecer seu corpo para saber o que é e o que não é normal em suas mamas. A maior parte dos cânceres de mama é descoberta pelas próprias mulheres.

Comentários

O portal da Enfermagem não faz a moderação dos comentários sobre suas matérias, esse Espaço tem a finalidade de permitir a liberdade de expressão dos seus leitores, portanto, os comentários não refletem a opinião dos gestores. Apesar disso, reservamo-nos o direito de excluir palavras de baixo calão, eventualmente postadas.

Nenhum comentário enviado, seja o primeiro. Participe!