São Paulo, 19 de abril de 2019
Home / Pesquisa / Artigos

Pesquisa / Artigos


Sepse neonatal tardia em recém-nascidos pré-termo com peso ao nascer inferior a 1.500g

28/07/2016

 

Stella Marys Rigatti Silva

Giordana de Cássia Pinheiro da Motta

Cristiane Raupp Nunes

Juliana Machado Schardosim

Maria Luzia Chollopetz da Cunha

 

Resumo

Objetivo: o objetivo da pesquisa foi caracterizar os recém-nascidos com peso inferior a 1.500g e identificar a incidência de sepse neonatal tardia.

Métodos: realizou-se um estudo de coorte prospectivo, cuja amostra foi composta por 30 recém-nascidos pré-termo com peso inferior a 1.500g, internado em UTI Neonatal de um hospital universitário. A coleta de dados ocorreu de janeiro a dezembro de 2013 por meio de instrumento estruturado.

Resultados: foram incluídos 30 neonatos, dos quais 14 desenvolveram sepse neonatal tardia, prevalecendo o Staphylococus Coagulase negativo.

Conclusões: a incidência de sepse neonatal tardia indica a vulnerabilidade desses pré-termos, devido à imaturidade imunológica dessa população. Assim, o conhecimento do perfil do RN internados da UTIN e os fatores de risco a que estão expostos são fundamentais para o planejamento dos cuidados de enfermagem desses pacientes. Futuros estudos são necessários para desenvolver estratégias para a prevenção da infecção nosocomial.

 

Palavras-chave: Recém-nascido. Prematuro. Sepse. Unidades de terapia intensiva neonatal. Enfermagem neonatal.