São Paulo, 21 de outubro de 2020
Home / Colunistas / Estratégias para vacinação do profissional de Saúde

Imunização | Vanice Costa

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade de São Paulo (1991). Especialista em Prevenção e Controle de Infecção Hospitalar pela Faculdade de Ciências Médicas Albert Einstein -SP em 1995 . MBA em Gestão Estratégica de Negócios pela Fundação Getúlio Vargas em SP em 2004. Atuou por 5 anos como enfermeira em unidade de transplante de medula óssea e pronto socorro de Hospitais privados (1991-1995). Gerente Assistencial do Instituto Brasileiro para Controle do Cancer (IBCC- SP 2002-2004). Gerente Técnica do Instituto Qualisa de Gestão de 2005 a 2010 aplicando a metodologia do Sistema Brasileiro de Acreditação (SBA) e Accreditation Canada. Diretora da Make Sure- Consultoria em Qualidade e Certificação em Saúde de 2010 a 2012. De 2013 até 2018 foi Presidente e Diretora de Avaliação e Certificação do Instituto Brasileiro para Excelência em Saúde- IBES. Desde janeiro de 2019 é membro do conselho de administração do IBES e Diretora Assistencial da Clivan Vacinas. - Email: vanice@ibes.med.br

+ postagens

Estratégias para vacinação do profissional de Saúde

Os profissionais de saúde (médicos, enfermeiras, profissionais e estudantes de odontologia, estudantes de medicina e enfermagem, técnicos de laboratório, farmacêuticos, voluntários de hospitais e equipe administrativa) estão mais expostos a doenças graves quando trabalham diretamente com os pacientes ou lidam com material que pode disseminar a infecção. As imunizações, portanto, são indicadas para reduzir a chance de contrair ou transmitir doenças evitáveis com vacinas.

Atualmente o PNI (Programa Nacional de Imunizações) para profissional de saúde contempla as seguintes vacinas: Hepatite B + DT (Difteria, Tétano) + SCR (Sarampo, Caxumba, Rubéola) + Influenza + Pneumocócica 23v. Destas, são obrigatórias a Hepatite B, Tétano e Difteria. A vacina contra o Sarampo também é indicada, a depender da condição endêmica. Outros imunobiológicos indicados para condições especiais são disponibilizados pelo CRIE (Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais).

A indicação da vacina influenza é justificada ser a maior causa de absenteísmo no trabalho, hospitalização e pela grande frequência com que desencadeia surtos no ambiente profissional.

Segundo a Sociedade Brasileira de Imunizações (Calendário Ocupacional 2020-2021), além do PNI, os profissionais lotados em serviços de saúde devem:

  • a - Antecipar reforço com dTpa para cinco anos após a última dose de vacina contendo o componente pertussis, especialmente para profissionais da neonatologia, pediatria e os que lidam com pacientes pneumopatas;
  • b - A vacina hepatite A está especialmente indicada para profissionais da lavanderia, da cozinha e manipuladores de alimentos;
  • c - As vacinas meningocócicas ACWY e B estão indicadas para profissionais da saúde da bacteriologia e que trabalham em serviços de emergência, que viajam muito e exercem ajuda humanitária/situações de catástrofes;
  • d - A vacina varicela está indicada para todos os suscetíveis;
  • e - Para os profissionais que trabalham com crianças menores de 12 meses e idosos (professores, cuidadores e outros), a vacina coqueluche está especialmente indicada.

As recomendações podem requerer esquemas diferenciados, reforços adicionais, vacinas que não são rotineiramente indicadas, além de outras precauções e contraindicações.

Entre os fatores a serem analisados estão o risco de infecções, o grau de comprometimento da imunidade e o histórico vacinal – e este deve ser consultado sempre que possível. Portanto, a vacinação requer planejamento adequado e individualizado.

São inúmeros os desafios para vacinação do profissional de saúde desde a disponibilidade do imunobiológico até estratégias para vacinação.

Algumas estratégias podem aumentar a aderência ao programa de imunização dos profissionais e devem ser consideradas pelas organizações de saúde:

  • Fortalecer a informação sobre imunobiológicos e a segurança das vacinas;
  • Dispor de programa de saúde ocupacional que contemple as indicações vacinais em área de atuação do profissional, incluindo viagens;
  • Dispor de profissional capacitado para a interpretação das recomendações necessárias tanto na vacinação primária como nos reforços necessários;
  • Dispor de equipe treinada para aplicação das vacinas;
  • Conhecer, minimizar e gerenciar reações adversas;
  • Ter acesso e disponibilidade dos imunobiológicos;
  • Ter recursos de guarda e armazenamento correto dos imunobiológicos;
  • Fornecer Declaração de Informações sobre Vacinas, quando aplicada;
  • Possuir acesso ao histórico vacinal dos profissionais sempre que necessário;
  • Dispor de sistemática para convocação de faltosos;
  • Conhecer as diretrizes e recomendações de vacinas para situações especiais e de emergência;
  • Estabelecer sinergias entre políticas e estratégias para a segurança dos profissionais de saúde e segurança do paciente:

Segundo Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, Diretor-Geral da OMS a pandemia COVID-19 nos lembrou do papel vital que os profissionais de saúde desempenham em aliviar o sofrimento e salvar vidas. “Nenhum país, hospital ou instituição de saúde pode manter seus pacientes seguros a menos que preserve a segurança de seus profissionais de saúde.”

Proteja a si mesmo, seus pacientes e seus familiares. Certifique-se de estar em dia com as vacinas recomendadas.

Referências Bibliográficas

1. Programa Nacional de Imunizações/Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis/Secretaria de Vigilância em Saúde. Instrução normativa referente ao calendário nacional de vacinação 2020. Atualização em 19 de fevereiro de 2020.
2.Calendário de vacinação SBIm ocupacional- Recomendações da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) – 2020/2021.
3.CDC. Immunization of Health-Care Personnel: Recommendations of the Advisory Committee on Immunization Practices (ACIP). MMWR, 2011; 60(RR-7).
4.CDC. Prevention of Hepatitis B Virus Infection in the United States. Recommendations of the Advisory Committee on Immunization Practices. MMWR, 2018; 67(RR1):1–30.
5.IAC. Pre-exposure Management for Healthcare Personnel with a Documented Hepatitis B Vaccine Series Who Have Not Had Post-vaccination Serologic Testing. Accessed at www.immunize.org/catg.d/p2108.pdf.

Comentários

O portal da Enfermagem não faz a moderação dos comentários sobre suas matérias, esse Espaço tem a finalidade de permitir a liberdade de expressão dos seus leitores, portanto, os comentários não refletem a opinião dos gestores. Apesar disso, reservamo-nos o direito de excluir palavras de baixo calão, eventualmente postadas.

Nenhum comentário enviado, seja o primeiro. Participe!