São Paulo, 27 de fevereiro de 2024
Home / Publicações

Publicações


Selecione a área desejada:
 
Busca por palavra-chave:
 


97 - Registros encontrados. Exibindo registro 21 até 40.

Cartilha do Paciente Oncológico - IBCC

O objetivo da publicação desta cartilha é mostrar aos nossos clientes que, além de oferecer profissionais altamente especializados e qualificados no tratamento dos mais diversos tipos de câncer, queremos levar ao conhecimento público informações importantes, como os direitos assegurados por Lei aos portadores da doença.

Ela é de autoria da advogada Maria Cecília Mazzariol Volpe (Mariinha), de Campinas, que já teve câncer de intestino.

 
Cartilha do Trabalhador de Enfermagem | ABEn

No ano de 2006, quando a Associação Brasileira de Enfermagem (ABEn) completou 80 anos, foi lançada a Cartilha do Trabalhador de Enfermagem como uma forma de continuar a defesa da categoria e a luta por saúde, segurança, higiene e melhores condições de trabalho. O objetivo é a promoção da atuação dos trabalhadores-cidadãos, de modo a, juntamente com os demais trabalhadores de saúde, prestar mais e melhor assistência de saúde à população brasileira. O texto desta cartilha é de Ivone Bulhões, enfermeira do Trabalho.

 
Cartilha Dr. Coluna

O Governo Federal e suas esferas estaduais e municipais, bem como os planos de saúde, as empresas e, principalmente, a população vêm pagando um preço muito alto pela falta de um programa preventivo contra uma epidemia que se alastra por todo o mundo: a dor nas costas.

Segundo dados do IBGE, no Brasil, a dor nas costas é a terceira causa de aposentadoria e a segunda de licença ao trabalho. Estatísticas também indicam que 13% das consultas médicas são provenientes de queixas de dor na coluna vertebral e, em nosso país, já são mais de 5,3 milhões de pessoas com hérnia de disco. A OMS (Organização Mundial da Saúde) afirma que 80% da população mundial terá, pelo menos, um episódio de dor na coluna durante a vida.

O objetivo desta cartilha, lançada pela ABR Coluna e pelo ITC Vertebral, é dar início a uma ação preventiva de orientações posturais e incentivo à prática esportiva em todas as idades e com repercussão em todas as classes sociais.

 
Cartilha Higienização das Mãos – Segurança do Paciente em Serviços de Saúde - Anvisa

Embora a higienização das mãos seja a medida mais importante e reconhecida há muitos anos na prevenção e controle das infecções nos serviços de saúde, colocá-la em prática consiste em uma tarefa complexa e difícil. Dessa forma, é necessária uma especial atenção de gestores públicos, administradores dos serviços de saúde e educadores para o incentivo e a sensibilização do profissional de saúde à questão. No sentido de contribuir com o aumento da adesão dos profissionais às boas práticas de higienização das mãos, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa/MS) publica as orientações sobre “Higienização das Mãos em Serviços de Saúde”, que oferece informações atualizadas sobre esse procedimento.

 
Cartilha Maria da Penha

Tendo em vista que uma enorme parte da população feminina não conhece seus direitos e não sabe o que fazer quando é vítima de violência, Defensoria Pública de São Paulo editou a Cartilha Lei Maria da Penha, que traz informações básicas sobre os direitos e as medidas que podem ser tomadas para interromper a violência contra a mulher, garantindo a aplicação da Lei 11.340/2006, conhecida como Lei Maria da Penha, que prevê medidas de prevenção e repressão à violência doméstica e familiar contra a mulher e determina uma série de políticas públicas para garantir a igualdade de gênero.

 
Cartilha Medidas de Prevenção para Profissionais da Saúde (H1N1) - Sinsaude-SP

Sabendo da importância do conhecimento sobre as medidas a serem adotadas para prevenção da gripe por Influenza A (H1N1), o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de São Paulo (Sinsaude-SP) publicou esta cartilha sobre o assunto, que tem a participação da enfermeira do Trabalho Eliana Fittipaldi, com o intuito de levar aos associados e a todos que trabalham em empresas de saúde informações valiosas, que possam servir de apoio a uma conduta eficaz pela sociedade no controle desta pandemia, já classificada em nível 6 pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

 
Cartilha Orientações Básicas sobre Alimentação

Subsidiar as necessidades da equipe de saúde é o foco do projeto de extensão da: “Relação do processo de trabalho das equipes de saúde com os usuários: orientações básicas sobre alimentação da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Juiz de Fora. A ideia de elaborar um projeto sobre reeducação alimentar surgiu, por parte de estagiárias do curso de Enfermagem, em suas atividades de estágio em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) da cidade de Juiz de Fora - MG, no ano de 2005. Esta UBS atendia a um grande número de usuários que estavam acima do peso ideal, que é fator de risco para várias doenças. O projeto propôs a reeducação alimentar com mudança de hábitos alimentares no lugar de dietas e regimes drásticos. Foi criado um grupo de reeducação alimentar composto por pessoas obesas (IMC> 30,0), incentivando o emagrecimento e a melhoria da qualidade de vida, realizado por três acadêmicas: duas de enfermagem, uma de medicina, uma enfermeira e uma nutricionista. Com a analise das discussões realizadas pelo projeto, foi elaborada esta cartilha de orientações básicas de alimentação, que visa subsidiar não apenas o trabalho dos enfermeiros, mas também aos demais trabalhadores das equipes de saúde.

 
Cartilha para prevenção de DST/AIDS em jovens - Secretaria de Saúde do Estado de SP

A Coordenação Estadual DST/AIDS de São Paulo lançou uma série de sete cartilhas com o objetivo de oferecer subsídios técnicos aos profissionais envolvidos com as ações de prevenção às DST/AIDS em jovens e adolescentes nos serviços de saúde.

 
Cartilha Plano de Saúde

A cartilha explica que tipo de plano o consumidor pode escolher; onde ele pode ser atendido e por quais profissionais (área de abrangência e rede de prestadores); que tipo de atendimento é ofertado (segmentação assistencial e cobertura); quais os tipos de acomodação em caso de internação; e regras de reajuste. O material também contempla um infográfico que mostra quais as principais características dos planos de saúde individual/familiar, coletivos por adesão e coletivos empresariais quanto ao tipo de adesão, carência, rescisão, cobertura e cobrança. Dessa forma, o consumidor consegue visualizar facilmente as diferenças entre cada modalidade. 

 
Cartilha Saúde-Trabalho | HumanizaSUS

A Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão do SUS aposta na indissociabilidade entre os modos de produzir saúde e os modos de gerir os processos de trabalho, entre atenção e gestão, entre clínica e política, entre produção de saúde e produção de subjetividade. Tem por objetivo provocar inovações nas práticas gerenciais e nas práticas de produção de saúde, propondo para os diferentes coletivos/equipes implicados nestas práticas o desafio de superar limites e experimentar novas formas de organização dos serviços e novos modos de produção e circulação de poder. Assim, o HumanizaSUS lança mão de ferramentas e dispositivos para consolidar redes, vínculos e a co-responsabilização entre usuários, trabalhadores e gestores. Esta Cartilha ajuda nesta tarefa.

 
Cartilha Tuberculose

A melhor forma de reduzir a transmissão do Mycobacterium tuberculosis (bacilo de Koch) é identificar e tratar oportuna e adequadamente as pessoas com tuberculose. Outras medidas simples também podem ajudar a proteger o cidadão, profissionais e os usuários. Este é o intuito desta Cartilha produzida pelo Ministério da Saúde.

 
Cartilha “Dengue. Se você agir, podemos evitar”. - Ministério da Saúde

Nesta cartilha estão todas as informações detalhadas sobre a doença, estado por estado.

 
Câncer na Criança e no Adolescente no Brasil - Inca

O Instituto Nacional de Câncer (INCA) e a Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (SOBOPE) desenvolvem, promovem e apóiam ações para aprimorar o diagnóstico, tratamento e acompanhamento da criança com câncer no sentido de garantir melhor qualidade de vida e, quando possível, a cura da doença nesses pacientes no Brasil. O conhecimento e a análise de informações sobre qualquer tipo de agravo à saúde são fundamentais para a tomada de decisões. Estas informações provêm de pesquisas e estudos epidemiológicos, dos sistemas de informação em saúde, em especial para a área da oncologia (registros de câncer). Este é o motivo do lançamento desta cartilha, iniciativa que representou um marco importante nos programas de atenção oncológica-pediátrica.

 
Censo AMIB 2010 - UTI´s no Brasil

A AMIB (Associação de Medicina Intensiva Brasileira) elaborou o primeiro estudo que visa apresentar uma visão do cenário das Unidades de Terapias Intensivas (UTI) no país. O Censo mostrou que quase 54% dos leitos estão concentrados na Região Sudeste do país. Número bem maior do que os registrados pelo estudo no Sul e no Nordeste. Segundo a Amib, o Centro-Oeste tem apenas 7,6% do total de leitos.

 
Código de Ética e Principais Legislações para o Exercício da Enfermagem

 

É com grande satisfação que o Coren-SP apresenta o livro “Código de Ética e Principais Legislações para o Exercício da Enfermagem”, oferecendo aos profissionais esta importante ferramenta para a construção de uma assistência segura e de qualidade.

O conhecimento acerca dos marcos legais que regem a atuação da categoria é fundamental para o constante aprimoramento e respaldo da prática profissional. Desta forma, o Coren-SP está trabalhando para incentivar que a Enfermagem se aproprie destes instrumentos em busca do fortalecimento de suas capacidades e autonomia.

Entre as legislações presentes nesta publicação, merece destaque o novo Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem, em vigor a partir de abril de 2018, elaborado democraticamente, com grande participação da Enfermagem brasileira, por meio do Sistema Cofen-Corens. Além de trazer uma linguagem mais clara e objetiva, a norma está segmentada em princípios, direitos, deveres, responsabilidades e proibições. Temas atuais, como o comportamento nas mídias sociais e desafios do cotidiano, como a comunicação de casos de violência, também são abordados.

Esperamos que este guia contribua com a disseminação das boas práticas em Enfermagem e com a busca de uma assistência de excelência.

 

 

 
Dengue - Manual de Enfermagem - Ministério da Saúde

A dengue é hoje uma das doenças com maior incidência no Brasil, atingindo a população de todos os estados, independentemente da classe social. Nesse cenário, torna-se imperioso que um conjunto de ações para a prevenção da doença seja intensificado, permitindo assim a identificação precoce dos casos de dengue, a tomada de decisões e a implementação de medidas de maneira oportuna, a fim de principalmente evitar óbitos. A capacitação de profissionais de saúde no atendimento ao paciente com dengue é um dos principais componentes do Programa Nacional de Controle da Dengue (PNCD) do Ministério da Saúde. Para atender a essa necessidade de treinamento, a Secretaria de Vigilância em Saúde elaborou o presente material, que visa orientar os profissionais de enfermagem, para uma identificação precoce e uma assistência adequada ao paciente com dengue. A proposta deste manual é, portanto, abordar aspectos da assistência de enfermagem, desenvolvendo um atendimento integral, que possa colaborar para o restabelecimento da saúde individual e coletiva.

 
Diretrizes Brasileiras para o Rastreamento do Câncer do Colo do Útero - Inca

Criado pelo Ministério da Saúde e o Inca, o manual Diretrizes Brasileiras para o Rastreamento do Câncer do Colo do Útero apresenta em seus oito capítulos - com exceção do primeiro, que trata das diretrizes do rastreamento – referências a um ou mais diagnósticos citopatológicos conforme a Nomenclatura Brasileira para Laudos Cervicais. Cada texto se inicia com uma breve fundamentação teórica e evidências identificadas na revisão dos temas, que serviram como base para as recomendações.

 
Diretrizes de Atenção à Pessoa com Síndrome de Down

A elaboração das Diretrizes de Atenção à Saúde da Pessoa com Síndrome de Down baseou-se em buscas no sistema PubMed, SciELO e no Cochrane Database of Systematic Reviews utilizando como palavras chaves: “Down Syndrome” Síndrome de Down”; “Trisomy 21”, “Trisomía del Cromosoma 21” e “Trissomia do Cromossomo 21” e “Growth”, “Desarollo” e “Crescimento, Os artigos revistos foram publicados no período de 1975 a 2011 além dos relatos históricos de Langdon Down e Jerome Lejeune. A busca foi limitada às línguas inglesa, espanhola e portuguesa. Os dados foram analisados por um grupo de especialistas que discutiu os resultados e elaborou estas diretrizes.

 
Diretrizes Nacionais para prevenção e controle de epidemias de Dengue - Ministério da Saúde

A identificação precoce dos casos de dengue é de vital importância para a tomada de decisões e implementação de medidas de maneira oportuna, visando, principalmente, evitar óbitos. A organização dos serviços de saúde, tanto na área de vigilância epidemiológica quanto na prestação de assistência médica, é necessária para reduzir a letalidade por dengue no país, bem como permite conhecer a situação da doença em cada região. O Ministério da saúde preconiza neste material a adoção do protocolo de condutas, propõe uma abordagem clínico-evolutiva, baseada no reconhecimento de elementos clínico-laboratoriais e de condições associadas que podem ser indicativos de gravidade, com o objetivo de orientar a conduta terapêutica adequada para cada situação.

 
Diretrizes Para Manutenção de Múltiplos Órgãos no Potencial Doador Falecido

A Associação Médica de Medicina Intensiva (AMIB) elaborou um conjunto de diretrizes, chamado “Diretrizes Para Manutenção de Múltiplos Órgãos no Potencial Doador Falecido”, que dividido em três partes vai contribuir para uniformizar os cuidados prestados ao doador falecido e incrementar quantitativa e qualitativamente o transplante de órgãos com medidas aplicáveis à realidade brasileira. As Diretrizes apresentam também uma série de esclarecimentos que serão fundamentais para auxiliar o intensivista e sua equipe na manutenção do potencial doador falecido de órgãos a partir do diagnóstico da morte encefálica e abordagem da Ventilação Mecânica, Controle Endócrino Metabólico e Aspectos Hematológico e Infecciosos.

 

<< Primeira Página < Página Anterior Próxima Página > Última Página >>