São Paulo, 24 de June de 2017
Home / Gestão e Assistência / Dicas do Especialista

Dicas do Especialista

O cateter venoso central de inserção periférica - PICC (Peripherally Inserted Central Venous Catheter) foi descrito pela primeira vez no ano de 1929, mas foi somente na década de 70 que os pacientes internados começaram a ser beneficiados com a técnica, que uma década depois, em virtude dos benefícios e pela facilidade de sua inserção associado a um menor risco de complicações mecânicas e infecciosas, o uso do PICC foi disseminado, inclusive com programas de capacitação para enfermeiros. No Brasil, o PICC começou a ser utilizado em neonatologia, pediatria, terapia intensiva, oncologia e cuidados domiciliares, em 1990. E é do enfermeiro a competência técnica e legal para a inserção e a manipulação do PICC nos pacientes internados ou mesmo em home care.

 

Para transmitir informações sobre o assunto e apresentar um protocolo de PICC, o portal buscou a experiência da enfermeira Fernanda Ferrari Allucci, Gerente de Enfermagem do Hospital Santa Cruz, em São Paulo.

 

Enfermeira Fernanda acrescenta que são necessários alguns cuidados os cateteres. Para tanto, a Comissão de PICC do Hospital Santa Cruz, em São Paulo, elaborou uma cartilha “Cuidados de Manuseio e Manutenção” para servir de referência à enfermagem para proporcionar um meio seguro e eficiente para a administração de medicamentos aos pacientes. São eles:

 

* O curativo no local da inserção deve ser feito com gazes embebidas em soro fisiológico seguido de clorexidine alcoólico 2% e fixação com película transparente.

 

* A troca do curativo deve ser realizada a cada sete dias ou antes desse período, se apresentar sangramento ou sujidade.

 

* Antes de trocar o curativo verificar se há eritema, exsudato ou edema. Apalpar delicadamente em torno do local da inserção para sentir se a área está sensível.

 

* No banho, proteger o curativo para não molhar.

 

* Se necessário o uso de conectores, estes devem ser trocados a cada 72 horas.

 

* Circunferência do braço: deverá ser verificada diariamente, 5cm acima da inserção do cateter. Se houver aumento da circunferência o médico deverá ser comunicado.

 

* Salinização: utilizar 10ml de solução fisiológica 0,9% antes e após o término de infusões de medicamentos;

 

* Heparinização: deve ser realizada sempre que o cateter não estiver em uso e repetida a cada 5 dias. A solução recomendada é de 9,8ml de água destilada para 0,2ml de Heparina®, devendo ser injetados 1,5ml da solução. Antes de utilizar o cateter ou na troca da solução de Heparina®, deve-se aspirar e desprezar a solução anterior e lavar o cateter com 10ml de solução fisiológica 0,9%.

 

* Não utilizar seringa menor que 10ml para infusão no cateter;

 

* Não tracionar ou reintroduzir o cateter;

 

* Nunca aferir pressão arterial ou garrotear o membro onde está inserido o PICC;

 

* Não utilizar adesivos tipo Micropore® ou similares, em torno do corpo do cateter;

 

* Nunca usar o cateter para administrações de volumes em alta pressão, pois pode ocorrer o seu rompimento;

 

* A desobstrução e retirada, se necessário, deverão ser feitas por enfermeiro capacitado na passagem do cateter, devendo sempre ser comunicada ao médico a ocorrência.

 

Clique aqui e confira o Protocolo PICC

Crédito da Imagem: 3M




Fonte: Fernanda Ferrari Allucci, Gerente de Enfermagem do Hospital Santa Cruz


Comentários   Clique aqui para enviar seu comentário.


1/30/2011 - Silvia Oliveira Caxias-MA
Muito interessante. Gostaria de fazer o curso quando disponível em meu estado.

9/9/2010 - andrea alves damasceno Santos-SP
gostei muito da informação,mas gostaria mesmo de fazer um curso pratico.se houver uma chance de um curso me interesso.obrigada um beijo andrea

9/5/2010 - Francisca das Chagas Silveira Sao Paulo-SP
Gostei das orientações,é sempre bom saber +. Um abraço.

9/4/2010 - Maria Betânia Duarte Vidal Sao Paulo-SP
Na troca do curativo, a cada sete dias com película e após a inserção foi usado gaze e película, então o primeiro curativo será trocado após 24h.Caso a instituição não tenha película, o curativo continua sendo diário e sempre utilzar pinças, pois na cateter não pode tocá-lo com luvas.



Voltar Comente está notícia