São Paulo, 24 de June de 2017
Home / Gestão e Assistência / Dicas do Especialista

Dicas do Especialista

O programa de treinamento do colaborador recém-admitido é fundamental para a integração e o acolhimento dos novos profissionais.

Segundo o enfermeiro Sérgio Luz, especialista na área de Gestão de Pessoas, há diversos modelos de programas que se diferenciam pelo conteúdo e carga horária, e isto vai depender da cultura e do porte da instituição. “Defendo a tese de que o programa de treinamento deve vir acompanhado por um manual onde o colaborador possa consultar sempre que precisar dirimir dúvidas sobre fluxos, rotinas e políticas da instituição”, explica.

O Portal da Enfermagem buscou junto ao enfermeiro Sérgio Luz informações importantes para a construção de um Manual do Colaborador. Diante de sua experiência profissional junto à implantação da política de recursos humanos em uma rede de hospitais, que à época contava com cerca de 3.100 colaboradores diretos, Luz informa que o Programa de Treinamento do Colaborador Recém-Admitido é dividido em duas fases. A primeira fase, com 40 horas (uma semana), consiste em uma visão da instituição como um todo. Já a segunda, mais específica, é focada no departamento/ setor onde o profissional irá atuar.

“Ressalto que foi estabelecido junto com o Departamento de Pessoal e RH um calendário anual de admissões para que pudéssemos concentrar todos os colaborados no início de cada mês, facilitando o treinamento”, justifica o enfermeiro. Ele também explicou que a Instituição determinou como regra que nenhum profissional poderia iniciar suas atividades sem participar do treinamento do colaborador recém-admitido.

Abaixo, Luz apresenta mos um roteiro no qual o internauta poderá utilizar no programa deste treinamento e na confecção do Manual do Colaborador

Treinamento do Colaborador recém-admitido

Mensagem de boas-vindas
É muito importante que no Manual conste uma mensagem de boas vindas, de preferência com a foto do diretor geral da instituição. É muito importante que no primeiro dia do treinamento este executivo ou um profissional indicado por ele faça a abertura do Treinamento.

Programa
Após as respectivas apresentações, o facilitador apresenta aos participantes do Treinamento o programa que será desenvolvido ao longo da semana. Neste momento, presta as informações necessárias ao bom andamento das atividades.

Módulo I - Nossa História
Este módulo consiste na apresentação do histórico da instituição e da entidade mantenedora, quando houver. Apresenta seus principais dirigentes, sua cultura organizacional (Missão, Visão e Valores) e o calendário de datas comemorativas preconizado pela instituição.

Módulo II - Cartilha de Boas Práticas
Regras básicas de atendimento telefônico, atendimento pessoal, uso do crachá e uniformes, postura e apresentação pessoal, organização do ambiente de trabalho e materiais são os tópicos desenvolvidos neste módulo. Enfatizo que esta etapa precedeu um trabalho onde todas as propostas de normatização de como iríamos “fazer dar certo” vieram dos próprios colaboradores, por meio dos encontros de um programa denominado Interação.

Módulo III - Política de Qualidade
Neste tópico buscamos apresentar como funciona a estrutura organizacional da instituição por meio de seus instrumentos, tais como: organograma, regimento, procedimentos administrativos, procedimentos técnicos e manuais de orientação. Caso a instituição possua algum selo da Qualidade, deverá ser apresentado neste momento. Este módulo também se caracteriza por um curso ministrado ao todos os profissionais do ‘Programa 5S’.

Módulo IV - Biossegurança/ Saúde Ocupacional
Fazem parte deste módulo os seguintes temas: medidas de prevenção e combate a incêndio, riscos ambientais (neste momento são apresentados os mapas, que deverão ficar afixados nos respectivos setores). Discute-se a importância dos exames admissional periódico e demissional. Enfatiza-se a importância de acidentes de trabalho e dos riscos biológicos. São demonstrados neste momento todos os equipamentos de proteção individual (EPIs). Fechando o módulo, apresentam-se as imunizações necessárias aos profissionais de saúde e os aspectos relacionados á ergonomia e á qualidade de vida.

Módulo V - Direitos e Responsabilidades
Neste módulo o colaborador recém-admitido poderá dirimir dúvidas de como a instituição se comporta em relação a temas como controle de freqüência, período de experiência, férias, estabilidade e o acordo coletivo de trabalho do Sindicato da categoria.

Módulo VI - Gerenciamento de Resíduos
O Gerenciamento de resíduos de saúde é um tema que precisa ser muito bem trabalhado junto aos colaboradores recém-contratados. Não apenas porque se tornou Lei, mas pela importância no que se refere à questão da sustentabilidade.

Módulo VII - Segurança Patrimonial
A integridade física do paciente internado ou em atendimento é de responsabilidade da instituição. Este módulo visa apresentar a normatização e fluxos de trabalho.

Módulo VIII - Infecção Hospitalar
Os principais conceitos de infecção, o papel da Comissão do Serviço, medidas de controle e o treinamento prático de lavagem correta das mãos são os tópicos abordados nesta atividade.

Módulo IX - Ética e Profissional
Os temas que são abordados neste tópico fazem menção ao conceito de ética e moral, a diferenciação entre negligência, imperícia e imprudência, a postura profissional e o papel das comissões de ética.

Módulo X - Dicas Gerais
Este tópico busca apresentar ao colaborador recém-admitido assuntos como: como a publicação interna funciona na instituição, os produtos que o hospital oferece, os programas de humanização que são desenvolvidos na instituição.

Ponto importante – no último dia do treinamento, após dirimir todas as dúvidas do recém-contratado, peça a ele para assinar um termo declarando que ele está ciente sobre o funcionamento da instituição e de seus direitos e deveres. Arquive este termo no prontuário do colaborador, no Departamento de Pessoal, pois assim o Gestor e a Instituição estarão respaldados caso haja qualquer eventualidade ética, criminal ou civil, em que o colaborador possa a vir dizer “eu não sabia”.



Que tal você apresentar sugestões para que os colegas, de Norte a Sul do Brasil, possam ter um modelo de Manual do Colaborador o mais completo possível? Contamos com você!


Luz S. Manual do Colaborador [internet] 2010 [citado 2010 Setembro 27]. Disponível em http://www.portaldaenfermagem.com.br                   




Fonte: Sérgio Luz, Enfermeiro e Gestor do Portal da Enfermagem.


Comentários   Clique aqui para enviar seu comentário.


10/1/2010 - Margarida Soares Leite Sao Paulo-SP
Muito bom poder falar,melhor ainda ter quem escuta,pois temos dificuldades quanto a escolher uma profissão,estudar e conseguir ir ate o fim,com todas dificuldades financeiras possíveis,mais ai eu lhe pergunto,adianta/Pois eu estou formada dsde 2008,pós graduanda 03/2010 e não consigo colocação,acho que minha idade conta,agora me diz uma coisa,como posso ter experiencia na profissão se as empresas so admitem com experiencia,fica dificil não acha,não saimos da faculdade com experincia comprovada em carteira.Estou para deseistir da coisa que eu smpre amei fazer. Grata Margarida

9/30/2010 - Sérgio Luz Sao Paulo-SP
Ivete, obrigado pela sua participação ! O último bloco do treinamento é reservado para uma visita aos principais setores da instituição em que haja uma relação direta com a área de atuação do colaborador recem admitido e no seu respectivo setor.Na segunda semana ele estará com seu Lider ou profissional da equipe (sombra) designado por ele. É importante o acompanhamento do RH também neste período.

9/30/2010 - ivete Sao Paulo-SP
Em algum momento do treinamento é contemplado a apresentação do récem admitido aos veteranos da casa ou do setor onde será lotado, visando a integração junto aquela equipe, para que este ao chegar ao seu posto de trabalho sinta-se acolhido e não um pintinho fora do ninho?



Voltar Comente está notícia